Um dos ‘Beatles’ do Estado Islâmico condenado a prisão perpétua nos EUA

Um dos membros de um grupo de sequestradores do Estado Islâmico (EI) apelidado de “Beatles” foi hoje condenado a prisão perpétua por um tribunal federal norte-americano.

Alexanda Kotey, um ex-cidadão britânico, declarou-se culpado em setembro, admitindo a responsabilidade pela morte de quatro reféns norte-americanos na Síria.

Outro membro dessa célula, El Shafee el-Sheikh, preso juntamente com Kotey pelas forças curdas sírias em 2018, foi condenado em abril após julgamento e aguarda sentença.

O tribunal considerou-o culpado pelo seu papel na captura e morte dos jornalistas James Foley e Steven Sotloff, em 2014, e de Peter Kassig e Kayla Mueller, que faziam trabalho humanitário.

Esta célula ‘jihadista’ era apelidada pelos reféns com o nome do grupo musical “Beatles” devido ao seu sotaque britânico.

Ambos os membros do EI foram extraditados do Iraque para os EUA em outubro de 2020, para serem julgados pela Justiça norte-americana.

El Shafee el-Sheikh enfrenta a pena de prisão perpétua, mas a sentença só será pronunciada mais tarde.

MYMM (ANP) // PDF

Lusa/Fim

(Visited 5 times, 1 visits today)

You might be interested in