Pedidos de subsídio de desemprego nos EUA sobem para 206.000 na semana passada

Os pedidos de subsídio de desemprego nos EUA aumentaram na semana passada para 206.000, mais 18.000, indicou hoje o Departamento do Trabalho norte-americano.

Este aumento ocorre apesar dos sinais de que o mercado de trabalho dos EUA continua a recuperar da recessão provocada pela pandemia da covid-19.

A média a quatro semanas, que suaviza a volatilidade semana a semana, caiu 16.000 para menos de 204.000, o nível mais baixo desde meados de novembro de 1969, noticia hoje a agência Associated Press (AP), que cita dados do Departamento do Tesouro.

No total, 1,8 milhões de norte-americano estavam a receber subsídios de desemprego regulares na semana que terminou em 04 de dezembro, uma redução de 154.000 em relação à semana anterior.

Os pedidos semanais, utilizados como uma ferramenta para analisar os despedimentos, caíram de forma constante durante a maior parte do ano após alcançarem o máximo de 900.000 no início de janeiro, encontrando-se agora abaixo das 220.000 semanais, valor próximo dos anteriores à pandemia.

Entre março e abril do ano passado, com os primeiros efeitos da doença provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, os empregadores perderam 22,4 milhões de empregos.

A ajuda do Governo e o lançamento da vacinação contribuiu para o relançamento da economia e do mercado de trabalho, fornecendo aos norte-americanos os fundos para a realização de compras de bens. Desde então, o país recuperou quase 18,5 milhões de postos de trabalho, ainda que o número esteja 3,9 milhões abaixo dos valores de fevereiro de 2020.

No último mês, as empresas acrescentaram 210.000 postos de trabalho. Ao mesmo tempo, o relatório sobre a empregabilidade apresentou uma taxa de desemprego num mínimo pandémico de 4,2% em novembro, contra os 4,6% de outubro.

JYO // JNM

Lusa/Fim

(Visited 36 times, 1 visits today)

You might be interested in