Equipas de resgate dos EUA continuam a salvar vítimas de furacão Ian na Florida

Equipas de resgate continuam a atravessar ruas inundadas com barcos numa tentativa para salvar pessoas que foram afetadas pelo furacão Ian, que destruiu parte do estado da Florida, e a Guarda Costeira procura salvar 23 migrantes cubanos.

A Guarda Costeira dos EUA iniciou uma missão de busca e resgate para tentar salvar 23 pessoas, depois de um barco que transportava migrantes cubanos ter-se afundado, na quarta-feira, a leste de Key West, no sul da Florida, como resultado do furacão Ian.

Para já foram encontrados três sobreviventes e quatro outros nadaram até à costa, disse a Patrulha de Fronteira dos EUA, anunciando que continuam as buscas por mais 20 migrantes.

A destruição no estado da Florida começou um dia depois de o furacão Ian ter atingido a costa daquele estado, onde chegou como um dos furacões mais fortes que já atingiu os EUA, deixando mais de 2,5 milhões de casas e empresas sem eletricidade e fazendo pelo menos um homem.

“Nunca vimos tempestades desta magnitude”, reconheceu o governador da Florida, Ron DeSantis, salientando a sua preocupação com o número de situações de inundação.

Embora tenha sido reclassificada como tempestade tropical, na manhã de hoje, o Centro Nacional de Furacões disse que as chuvas de inundação continuam a ser uma ameaça, enquanto se arrasta pela península da Florida, onde chegou desde o Oceano Atlântico.

Os meteorologistas preveem que a tempestade siga para norte, em direção à Carolina do Sul, onde já foi feito alerta para a população do litoral.

Na Florida, as autoridades dizem que milhares de pessoas ligaram para os números de emergência, com situações de risco, e a Guarda Costeira dos EUA realizou diversas operações de resgate a embarcações.

Na área da cidade de Orlando, os bombeiros de Orange County usaram barcos para salvar pessoas num bairro inundado.

Em Fort Myers, uma família passou horas desesperadas, na quarta-feira, segurando uma mesa da sala de jantar contra a porta do pátio, temendo que a tempestade destruísse a casa.

As autoridades confirmaram pelo menos uma morte na Florida – um homem de 72 anos em Deltona, que caiu num canal enquanto usava uma mangueira para drenar a piscina, perante a chuva forte.

Equipas de emergência cortaram árvores derrubadas para alcançar pessoas isoladas e, na ilha de Sanibel, um pontão foi destruído pelas ondas de vários metros de altura.

A patrulha de polícia rodoviária da Florida fechou a principal autoestrada na área de Orlando e disse que permanecerá fechada até que o nível da água desça, depois de ter sido atingida por chuvas intensas.

RJP // PDF

Lusa/Fim

(Visited 7 times, 1 visits today)

You might be interested in