Trump revela “informações classificadas” em áudio-livro de jornallsta Bob Woodward

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mostrou ao jornalista norte-americano Bob Woodward cartas confidenciais que o líder da Coreia do Norte lhe enviou, noticiou hoje a CNN sobre o novo áudio-livro “The Trump Tapes”. 

A cadeia de televisão CNN teve acesso a uma parte do áudio-livro que vai ser lançado no próximo dia 25 e que contém oito horas de entrevistas conduzidas por Bob Woodward ao ex-chefe de Estado norte-americano durante o seu mandato.

Bob Woodward, 79 anos, revelou com o jornalista Carl Bernstein o Caso Watergate, em 1972, nas páginas do jornal Washington Post, um escândalo que conduziu ao afastamento de Richard Nixon da presidência dos Estados Unidos. 

No último trabalho, resultado de uma série de encontros com Donald Trump, na Sala Oval, Casa Branca, em dezembro de 2019, Woodward perguntou ao então chefe de Estado se a atitude “belicosa” para com Kim Jong-un tinha como intenção levar o líder norte-coreano a negociar.   

“Não. Não. Foi assim porque foi assim. Aconteceu, quem sabe, instintivamente. Vamos falar do instinto, está bem ? (…) Porque, realmente, trata-se do que não se sabe do que vai acontecer. Mas, foi uma retórica muito dura. A mais dura”, afirma Trump na gravação que está a ser reproduzida hoje pela CNN. 

Trump pediu aos assessores para mostrarem a Woodward as fotografias com Kim Jong-un na Zona Desmilitarizada entre as duas Coreias (DMZ).

“Aqui estamos ele e eu. Ali está a linha (DMZ), não é ? Depois andei sobre a linha. Foi genial. Muito. Não foi?”, diz Trump sobre o momento em que se encontrou com o líder da Coreia do Norte na Linha de Pamunjong que divide a Península da Coreia.  

Parte deste novo audio-livro de Bob Woodward contém 20 entrevistas a Donald Trump realizadas entre 2016 e 2020 e inclui as opiniões do ex-presidente dos Estados Unidos sobre o líder do regime de Pyongyang. 

As entrevistas que fornecem mais informações sobre a visão do mundo de Donald Trum são as gravações mais longas em que o ex-presidente fala sobre o mandato como chefe de Estado e que incluem as razões sobre o encontro com Kim Jong-un, a relação com o presidente russo, Vladimir Putin, e as opiniões sobre o próprio arsenal nuclear dos Estados Unidos. 

As gravações mostram também a forma como Trump decidiu partilhar com Woodward as cartas que o dirigente da Coreia do Norte, tratando-se de “missivas secretas” que o ex-presidente levou para a residência particular de Palm Beach, Florida e que levaram recentemente as autoridades judiciais a iniciarem uma investigação sobre a posse de documentos classificados, supostamente, apropriados pelo ex-chefe de Estado.

“Não digas que tos dei (mostrei). Está bem?”, diz Trump a Woodward ao mostrar as cartas de Kim Jong-un. 

O jornalista Bob Woodward diz na introdução do audio-livro que publica estas gravações, em parte, porque “ouvir Trump é uma experiência completamente diferente do que ler as transcrições ou escutar apenas os fragmentos de entrevistas”. 

Segundo a CNN, Woodward descreve Trump como “tosco, profano, conflituoso e enganador” e com uma linguagem “muitas vezes vingativa”. 

“Por outro lado também se mostra atrativo e ameno e ri-se (…) Tenta vencer-me, vender-me a presidência. É um vendedor a ‘tempo inteiro'”, diz Woodward. 

“Quis usar a voz de Trump, as próprias palavras dele, pelo registo histórico e para que as pessoas possam ouvir, julgar e tirar conclusões”, disse o jornalista. 

Nas entrevistas, Trump comparte pontos de vista sobre os “homens fortes que admira”, incluindo Kim Jomg-Un, Putin, o presidente da Turquia, Recep Tayip Erdogan e revela “estar convencido” que é a pessoa mais inteligente de todas. 

Numa das entrevistas, registada em junho de 2020, após os protestos generalizados nos Estados Unidos depois da morte de George Floyd pela polícia, Woodward perguntou a Trump se foi ajudado a escrever o discurso em que se declarou “como presidente da lei e da ordem”. 

“[Os discursos] vêm com as ideias. Mas as ideias são minhas, Bob. As ideias são minhas (…) é tudo meu. Tudo,”, disse Trump a Woodward. 

A uma pergunta sobre o programa nuclear da Coreia do Norte, o ex-presidente refere-se às capacidades nucleares dos Estados Unidos mencionando um novo sistema de armamento que provavelmente era “secreto”, alegando que é “um sistema de armas que ninguém teve anteriormente”.

Para Woodward a revelação reforça a “maneira casual e perigosa” como o ex-presidente trata as informações classificadas.

PSP // APN

Lusa/fim

(Visited 15 times, 1 visits today)

You might be interested in