“Temos qualidade, mas quem vence é que fica na história”

O defesa Diogo Dalot afirmou hoje que a seleção portuguesa de futebol tem muita qualidade e potencial, mas salientou que quem fica na história são os que vencem, frisando que é importante entrar a ganhar no Euro2024.

“Sinto que existe essa expectativa, as pessoas querem acreditar que a nossa seleção pode ser das melhores de Portugal, mas a que será sempre lembrada é a que ganha e todos se lembram da de 2016. Se queremos ficar na história de Portugal temos de trabalhar para isso e fazer-nos ser lembrados. Podemos ter muita qualidade e muito potencial, mas o que conta é no fim e quem vence é que ficará para a história”, disse em conferência de imprensa em Marienfeld, no quartel-general da seleção lusa na Alemanha.

Dalot, que alinha nos ingleses do Manchester United, salientou a importância de Portugal vencer na terça-feira a República Checa, na sua estreia na competição, que vai decorrer até 14 de julho.

“Ganhar é o grande objetivo e, numa competição destas, é importante vencer o primeiro jogo. Quantos mais golos melhor, mas o objetivo é ganhar”, defendeu.

Depois da euforia com a chegada à Alemanha na quinta-feira e do treino aberto aos adeptos na sexta-feira, o lateral salientou a importância de a equipa não se deixar levar por todo o ambiente vivido, apelando ao foco.

“Não queremos que esta euforia e este apoio se exceda em nós próprios. Agora é hora de trabalhar e de vencer o primeiro jogo. O grupo está bastante focado em entrar no Europeu com o pé direito”, garantiu.

Sobre as expectativas em relação ao desempenho luso, o defesa formado no FC Porto explicou que é necessário pensar jogo a jogo, mas destacou a ambição de Cristiano Ronaldo.

“O Cristiano vai pensar sempre em grande e nós queremos acompanhar. É a pessoa que mais venceu e o pensamento será sempre esse, mas ele sabe que para lá chegar temos de ir dia a dia e jogo a jogo”, disse.

Dalot voltou ainda a abordar a derrota com o Croácia num particular antes da viagem para solo alemão, defendendo que o grupo orientando por Roberto Martínez precisava de um teste desse nível.

“É um jogo que acho que foi importante para melhorar alguns aspetos antes de uma grande competição. A fase de apuramento foi imaculada, mas por vezes precisamos testar algumas coisas com adversários destes e olhamos para isso de forma positiva. Saber estar debaixo do resultado e como reagir nos momentos de adversidade”, explicou.

A equipa das ‘quinas’ estreia-se no Euro2024 na terça-feira, em Leipzig, perante a República Checa, na jornada de arranque do Grupo F, numa partida agendada para as 21:00 (20:00).

Além dos checos, no agrupamento, Portugal defronta ainda a Turquia (22 de junho, em Dortmund) e a Geórgia (26, em Gelsenkirchen).

AJO/LG // VR

Lusa/Fim

(Visited 14 times, 1 visits today)

You might be interested in