Mundial2022: Fernando Santos lembra boa resposta lusa em jogos a ‘doer’

O selecionador Fernando Santos manifestou-se hoje confiante na vitória de Portugal sobre a Turquia, para os ‘play-offs’ de acesso ao Mundial2022 de futebol, e recordou que os lusos costumam dar-se bem em jogos a ‘doer’.

“Em jogos decisivos, em jogos de final, Portugal tem dado uma resposta positiva, à exceção do último jogo [com a Sérvia]. É um fator positivo, estes jogadores têm muita experiência e não se deixam influenciar”, disse o selecionador luso, em conferência de imprensa.

Apesar de ter assumido publicamente que deixa o cargo de selecionador caso os lusos falhem um lugar no Qatar, Fernando Santos apenas está concentrado no desafio de quinta-feira, no Estádio do Dragão, e deixou claro que não pensa mais na derrota com a Sérvia (1-2), que atirou Portugal para esta situação perigosa.

“Estou só focado na final que temos de disputar amanhã [quinta-feira]. Sabemos o que temos de fazer, a equipa está concentrada e motivada. Estamos aqui por responsabilidade nossa e assumimos isso. Em primeiro lugar, sempre o treinador. Mas, isso é passado e sabemos que queremos estar no Campeonato do Mundo”, assegurou.

Sem poder contar os habituais titulares João Cancelo, devido a castigo, Rúben Dias, por lesão, e Pepe, infetado com covid-19, assim como os médios Rúben Neves e Renato Sanches, lesionados, o técnico diz que “não vale a pena falar deles”, mas lembra que “estão com o grupo e fazem parte do ‘onze’”.

“Amanhã [quinta-feira] temos de jogar por 11 milhões de portugueses. Vou escolher a equipa que dará as melhores garantias e tenho confiança absoluta nos jogadores. Amanhã [quinta-feira], tomarei as minhas decisões”, observou.

Sobre a equipa comandada pelo germânico Stefan Kuntz, as palavras foram elogiosas e alertou para os perigos que possam surgir, nomeadamente dos pés do médio do Inter de Milão Hakan Çalhanoglu.

“Os jogadores [deles] têm características individuais fortes, muita qualidade ao nível do passe, execução e criatividade. São agressivos no bom sentido, e jogam muito com o coração. Tem jogadores muito importantes, como o Çalhanoglu, os avançados também são rápidos, com muita mobilidade. Valem pelo seu todo e dão-se melhor com um jogo mais partido, de corrida. Temos de combater isso e não entrar nesse jogo. É isso que tenho dito aos jogadores”, concluiu.

Portugal e Turquia jogam na quinta-feira, a partir das 19:45, no Estádio do Dragão, no Porto, em encontro das meias-finais do caminho C dos ‘play-offs’ europeus de acesso à fase final do Mundial2022, que será dirigido pelo alemão Daniel Siebert.

Quem vencer este duelo recebe, na terça-feira (29 de março), o vencedor do embate entre Itália e Macedónia do Norte, que também se defrontam na quinta-feira, em Palermo. Se Portugal passar, volta a ser anfitrião no Dragão.

Portugal procura a oitava presença em Mundiais, e quinta consecutiva, depois de 1966, 1986, 2002, 2006, 2010, 2014 e 2018, enquanto os turcos tentam apenas a terceira, após 1954 e 2002.

AJC/JPYG // PFO

Lusa/Fim

(Visited 16 times, 1 visits today)

You might be interested in