Estados Unidos convencidos de que Putin não parará no Donbass

Os Estados Unidos estão convencidos que o Presidente russo, Vladimir Putin, não se vai limitar a ocupar a região ucraniana de Donbass, mas que quer levar o conflito para a Transnístria, na Moldova.

De acordo com a chefe dos serviços de informações norte-americanos, Avril Haines, Putin conta com o enfraquecimento do apoio ocidental à Ucrânia, estando a preparar-se para um prolongado conflito, para o qual irá “provavelmente” impor a lei marcial na Rússia.

Os serviços de informações dos EUA acreditam que os militares russos querem “estender a ponte terrestre (no sul da Ucrânia) para a Transnístria”, explicou Haines, acrescentando que o objetivo do Kremlin é alcançar esse objetivo nos próximos meses.

Contudo, a chefe dos serviços de informações considera que esse objetivo nunca será atingindo sem que o Kremlin “decrete uma qualquer forma de mobilização geral”, impondo a lei marcial.

O Presidente russo “provavelmente conta com um enfraquecimento da determinação dos Estados Unidos e da União Europeia, quando a escassez de bens alimentares e a subida dos preços da energia se agravarem”, avisou Avril Haines.

Perante um cenário de escalada da guerra na Ucrânia, Haines diz que a situação entrará numa “trajetória mais imprevisível”.

Ainda assim, os serviços de informações norte-americanos consideram que Putin apenas recorrerá ao uso de armas nucleares em condições extremas.

“Continuamos a acreditar que o Presidente Putin só ordenará o uso de armas nucleares se perceber uma ameaça existencial ao Estado ou ao regime russo”, disse Haines.

O Presidente russo pode recorrer às armas nucleares ainda “se perceber que está perder a guerra na Ucrânia e que a NATO está a intervir ou a preparar-se para intervir”, esclareceu Haines.

RJP // PDF

Lusa/Fim

(Visited 8 times, 1 visits today)

You might be interested in