Biden e Macron acordam reunir na Europa para resolver tensões diplomáticas

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o seu homólogo francês, Emmanuel Macron, concordaram hoje em reunir em outubro e iniciar um processo de consulta para reduzir a tensão diplomática provocada pelo caso dos submarinos australianos.

Num comunicado conjunto após uma conversa telefónica, os dois líderes anunciaram que se encontrarão “na Europa, no final de outubro” e que o embaixador francês em Washington, convocado para consultas na semana passada, regressará ao cargo na próxima semana.

“Os dois líderes concordaram que a situação pode beneficiar com consultas abertas entre aliados”, acrescentou o comunicado, referindo-se aos protestos de Paris sobre a falta de aviso prévio sobre o pacto de defesa entre os Estados Unidos, Austrália e Reino Unido.

“O Presidente Biden expressou o seu compromisso duradouro com esta matéria”, acrescenta o comunicado conjunto, referindo que o líder norte-americano considerou “necessário que a defesa europeia seja mais forte e eficiente”, para contribuir para a segurança transatlântica e cumprir o “papel da NATO”.

O documento conjunto diz ainda que os Estados Unidos “reafirmam que o comprometimento da França e da União Europeia na região do Indo-Pacífico é de importância estratégica”, revelando que os dois líderes estão alinhados sobre a postura dos aliados nesta zona do globo, sob forte influência da China.

Biden reconhece assim os motivos de descontentamento de Macron, pela falta de diálogo com os aliados sobre o pacto de defesa que envolve EUA, Reino Unido e Austrália, com a venda a Camberra de tecnologia para a construção de submarinos de propulsão nuclear.

Este acordo levou a Austrália a “rasgar” um contrato com Paris, no valor de 56 mil milhões de euros, para a compra de submarinos convencionais, o que irritou o Governo francês.

O telefonema desta tarde, a pedido de Biden, foi o primeiro contacto entre os dois líderes desde o início da crise diplomática.

A indicada reunião na Europa, em outubro, cujo local e data ainda não foram definidos precisamente, deve realizar-se na altura da cimeira do G20 em Roma, que terá como objetivo “chegar a entendimentos partilhados” para a melhor de relacionamento entre os dois países.

RJP // PMC

Lusa/Fim

(Visited 5 times, 1 visits today)

You might be interested in